Biografia

Neil Leslie Diamond nasceu no inverno norte-americano de 1941, em 24 de janeiro no Brooklyn, Nova York. Em seu aniversário de 16 anos ele ganhou seu primeiro violão (usado) e foi aí que tudo começou. Neil escreveu sua primeira música “Hear them bells” para sua namorada. Ele nem pensou em gravar a canção na época, mas o fez muitos anos depois. Aos 18 anos, Neil Diamond escreveu “Blue Destiny” e já era sua 15ª música. Ainda faltavam oito anos para ele estourar.

Diamond chegou a cursar uma faculdade de pára-medicina, na “New York University”. Era até um aluno dedicado, mas a música falou mais alto. Aos 21 anos trocou a faculdade, no último semestre, por um estágio de 50 dólares por semana para compor em uma pequena editora, a Sunbean Music.

Em 1962, Neil Diamond assinou um contrato com a Columbia Records. A música de trabalho era “At Night” que não foi um grande hit. Foi em 1966 que Neil começou chamar a atenção quando escreveu “Solitary Man”. Em seguida veio “Cherry Cherry”, que chegou a ficar em 6º lugar nas paradas de sucesso da Billboard. O sucesso seguinte foi “I’m a Believer”, que primeiramente foi gravada por The Monkees. Até no Brasil foram gravadas suas vers��es dessa música: Lulu Santos e Leno e Lilian. Apesar de versões diferentes, o nome foi o mesmo: “Não Acredito”. Recentemente, Smash Mouth fizeram uma nova vers��o da canção para a m��sica, que está presente numa releitura mais calma no mais recente álbum Do Neil Diamond, Dreams (2011).

Em 1967, Diamond escreveu “Red, Red Wine” como uma balada contry, mas sem grande repercussão. Mas foi em 1988 quando UB40 regravou que virou um grande hit no estilo Raggae. Uma grande mudança houve em 1968 quando foi para a Bang Records. Na época, “Shilo” foi a canção de mais sucesso. Em seguida, assinou com a MCA.

Em 1969, Neil escreveu o que seria três dos seus maiores sucessos at������������������������ hoje: “Sweet Caroline” (que chegou a quarta posição na Billboard charts, “Holly Holy” (que chegou a sexta posição) e “Brother Love’s Traveling Slavation Show”.

Outras canções como “Cracklin Rosie” e “Crunchy Granola Suite”. A primeira foi inspirada numa viagem a uma reserva indígena e Cracklin Rosie é o vinho. J�� Crunch Granola Suite foi inspirada em na alimentação saudável que ele observou durante a viagem. Cracklin Rosie chegou ao primeiro lugar na Billboards.

Neil Diamond gravou e escreveu mais m��sicas emotivas do que engraçadas. “He Ain’t Heavy…. He’s My Brother” é um bom exemplo disso. Ele gravou a canção em 1970 e foi um grande sucesso na sua voz. Já “I am….I said” levou quatro meses para ser composta, diferente da maioria das outras músicas que ele costumava fazer em um dia. A música (I am… I Said) é bem emotiva e chegou ao quarto lugar na Billboards. Na música “In My Lifetime” Neil “diz” que uma de suas maiores satisfações é escrever.

“Song Sung Blue” seria uma música simples com uma simples mensagem. Provavelmente Neil não pensava que seria um dos grandes sucesso, mas chegou ao primeiro lugar das paradas.

Neil teve a oportunidade de escrever a trilha sonora do livro que viraria filme “Jonathan Livingston Seagull”, que no Brasil foi traduzido como “Fernão Capelo Gaivota”. Diamond mostrou um talento incrível na junção das letras com a música, cheia de poesia e deu ao filme uma a roupagem fundamental. Com a música “Be”, ele ganhou seu Grammy, o Oscar da música.

No final dos anos 70 ele escreveu belas canções como “Longfellow Serenade”, “Desiree”, “September Morn” e “Forever In Blue Jeans”, onde ele canta uma mensagem que às vezes fica esquecida: dinheiro não é tudo, ���� só uma das coisas que ajudam a viver.

Em 1979 ele escreveu “You Don’t Bring Me Flowers” que, originalmente, era uma música que ele cantava sozinho. Só que quando Barbra Streisand regravou a música, as rádios começaram a fazer um mix das duas versões. No embalo, os dois fizeram um dueto que chegou ao primeiro lugar das paradas de sucesso. Nada mal para fechar os anos 70.

Uma das maiores oportunidade que Neil Diamond teve para mostrar seu talento além da música foi no filme “The Jazz Singer”, uma nova gravação do primeiro filme falado da história, original da década de 1920. Diamond atuou como ator principal (atuou com Lawrence Olivier) e fez toda a trilha sonora – cá pra nós, de Jazz só o nome. Foi daí que nasceu músicas como “America”, “Hello Again” e “Love on The Rocks”. Cada uma dessas chegaram ao top 10 da lista da Billboard. A trilha sonora do filme vendeu mais de 6 milhões de cópias na época, em 1980.

Neil já gravou mais de 40 discos e mais de 100 canções próprias e, ao todo já vendeu mais de 125 milhões de cópias em todo o mundo.

O primeiro casamento de Neil foi com sua professora, Jaye Posner, com quem teve duas filhas, Marjorie e Elyn. O segundo foi com Marcia Murphy, com quem teve mais dois filhos, Micha e Joshua. O último divórcio custou ao cantor US$ 150 milhões e entrou para a turma dos 10 divórcios mais caros da hist��ria.

O ano de 2011 foi especial para Neil Diamond: Ele entrou para o Hall da Fama, participou do desfile de ação de graças em NY, anunciou o noivado com Katie McNei e foi homenageado com o Prêmio Kennedy, cerimônia anual na Casa Branca. O próprio presidente Barack Obama disse que suas músicas podem ser ouvidas em qualquer lugar, desde os jogos de beisebol aos filmes infantis e, “não importa quantas doses você tenha bebido, vai conseguir cantar Sweet Caroline”, brincou o presidente.